www.juracireboucas.org: Com estoque baixo, banco de leite pede doações: 'Qualquer mãe pode doar'

Casa Sousa

Casa Sousa

domingo, 21 de maio de 2017

Com estoque baixo, banco de leite pede doações: 'Qualquer mãe pode doar'

          
O Brasil conta atualmente com a maior rede de bancos de leite do mundo. De acordo com dados do Ministério da Saúde, são 221 unidades em todos os estados, além de 186 postos de coleta. Ainda assim, as doações nem sempre são suficientes para suprir a necessidade de todos os bebês prematuros atendidos pelas unidades. Um exemplo é o Banco de Leite Humano do Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba), que está com o estoque muito abaixo do necessário. "

Nós já tivemos fases melhores, em campanhas anteriores, mas agora estamos passando por uma fase em que está bem reduzido. Não temos condição de ofertar para todos os bebês que estão internados na Unidade Semi-Intensiva Neonatal. A gente seleciona os bebês mais críticos para que a gente possa ofertar esse leite materno pasteurizado", afirmou a coordenadora do equipamento, Cibele Correia. 

O leite materno é essencial para os bebês, principalmente de zero a seis meses, já que contém todos os nutrientes necessários e anticorpos, capazes de proteger contra infecções. Para que essas vidas possam ser salvas, é preciso que exista a doação. Toda mulher que amamenta é considerada uma possível doadora de leite humano, contanto que esteja saudável, não faça uso de nenhum medicamento que interfira no processo e perceba que há sobra de leite. 

"O processo de doação é muito simples. A mãe precisa apenas fazer uma ligação aqui para o banco de leite. Nós fazemos por telefone mesmo o cadastro e pegamos o endereço. Nós temos uma parceria com os bombeiros e vamos até a residência para levar o material e depois fazer a coleta. A gente oferta todos os materiais necessários: os vidros de tampa plástica esterilizados, além de máscara e toca descartáveis. Oito dias depois voltamos para pegar o leite", explicou Cibele sobre o processo realizado no Iperba. 

"A gente só pede que a doadora nos dê alguns exames do pré-natal, como HIV e hepatite, para saber se ela está saudável", completou. De acordo com a nutricionista, é possível perceber que há sobra de leite quando o bebê já está satisfeito depois de mamar, mas o seio da mulher permanece duro e dolorido. "Ela precisa esvaziar o peito para aliviar a dor, então, ao invés de jogar fora, ela pode congelar e doar", sugeriu. Para doar, é possível entrar em contato com o Iperba por meio do telefone (71) 3116-5118 ou e-mail iperba.blh@saude.ba.gov.br.

Bahia Notícias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, não refletindo a opinião da equipe deste blog. Todos os comentários serão moderados pela direção deste blog, sendo que os mesmos deverão ser identificados para serem aceitos, seja qual for o seu teor.