www.juracireboucas.org: Muritiba: Festa do Bonfim pode se tornar patrimônio imaterial da Bahia

Casa Sousa

Casa Sousa

sábado, 5 de agosto de 2017

Muritiba: Festa do Bonfim pode se tornar patrimônio imaterial da Bahia


          
Foto: Divulgação 

Na manhã desta sexta-feira, 04/08, aconteceu uma reunião para iniciar o processo de registro da Festa do Senhor do Bonfim de Muritiba como patrimônio imaterial da Bahia. 





Na reunião, o IPAC/BA se comprometeu em abrir o processo do registro através do convênio de cooperação técnica entre o município e órgão, com isso, ano que vem a cidade receberá a visita técnica de profissionais da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia a fim de fazer todo o levantamento histórico, cultural e artístico da celebração. "No processo, confeccionaremos um Dossiê Patrimonial da festa, para embasar a solicitação do registro, junto com a sociedade civil organizada," explica o vereador Paulo Ricardo.



Acontecendo o reconhecimento, a Festa do Bonfim de Muritiba em 2019, ano do centenário da cidade Serrana do Recôncavo da Bahia, será em grande estilo e um belo presente para o município. "Empenharei todos os esforços possíveis para que em 2019, nos 100 anos de emancipação política de Muritiba, possamos presentear o povo muritibano com o registro de patrimônio imaterial da Festa do Senhor do Bonfim. Além, claro, de fortalecer nossas políticas municipais de preservação do patrimônio de forma ampliada, para além da festa." finaliza Paulo.



A reunião contou com a presença do prefeito Danilo Sampaio, o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer Luciano de Miranda, a presença do Presidente da Câmara de Vereadores Valmir Simões, o Museólogo Vinícius Zacarias e os pesquisadores Cláudio Rebouças e Aislan Damacena
Fonte. Diário da notícia
www.juracirebouca.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, não refletindo a opinião da equipe deste blog. Todos os comentários serão moderados pela direção deste blog, sendo que os mesmos deverão ser identificados para serem aceitos, seja qual for o seu teor.