www.juracireboucas.org: Servidores da Saúde participam de roda de Terapia Comunitária

Casa Sousa

Casa Sousa

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Servidores da Saúde participam de roda de Terapia Comunitária



Nesta quarta-feira (23), os servidores da Saúde tiveram a oportunidade de participar de uma roda de Terapia Comunitária. Através de uma parceria entre a Secretaria de Saúde e a Irmã Ana Helena, do grupo de Irmãs da Santa Cruz, as
terapeutas Graça Farani, Ilza Fábia e Andrea Fernandes vieram fazer este trabalho.

A Terapia Comunitária é um espaço para acolhimento e tratamento do sofrimento do cotidiano antes que ele vire uma doença. A ideia não é substituir a psicoterapia nem a prática médica e sim fazer um trabalho complementar e preventivo. Segundo a terapeuta Graça Farani, o método é “um instrumento para empoderar. Fazer com que cada um aprenda a se cuidar, descobrir o seu próprio valor”. Através dela, é possível reconhecer e aliviar os sofrimentos da alma.

O secretário Tiago Pedreira, que participou da roda, afirmou que é importante fazer estes momentos com os profissionais de saúde. “Nós, que nos preocupamos tanto em cuidar do outro, hoje vamos cuidar um pouco de nós mesmos”, completou.

Para isso, é aberto um espaço para que cada um possa compartilhar seus sofrimentos e preocupações do cotidiano e, através do desabafo e da troca de experiências, conseguir aliviar a dor. Além disso, são utilizadas dinâmicas e músicas para deixar o momento mais acolhedor. “O objetivo da terapia é falar para não adoecer. Cada um deve prestar mais atenção no dia-a-dia e fazer o possível para sair do sofrimento, entendendo que a felicidade está atrelada ao conhecimento de si mesmo”, explicou a terapeuta. 

Simone Santos 
AGECOM - Governador Mangabeira | Jornalista Responsável




www.juracireboucas.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, não refletindo a opinião da equipe deste blog. Todos os comentários serão moderados pela direção deste blog, sendo que os mesmos deverão ser identificados para serem aceitos, seja qual for o seu teor.